quinta-feira, 19 de abril de 2018

O vento

Hoje o vento assobiou dentro de mim, no caminho para o trabalho, vi uma linda árvore, frondosa, sem folhas, desprovida de toda proteção. E me compadeci dela. No meio de outras folhosas, cercada por estudantes que se assegurava da proteção de outra, senti sua tristeza.

Alunos e árvores do CETEP

O meu novo trabalho tem me tomado tempo, tem sido gratificante ver a fome de conhecimento dos jovens extensionistas, meninos e meninas que ainda acreditam que podem mudar o mundo, uma realidade que eu desconhecia e já não tinha esperança de reencontrar. E o vento mudou a direção. Lembrei que Freire dizia que ninguém ensina nada a ninguém, mas as pessoas também não aprendem sozinhas. "Os homens se educam entre si mediados pelo mundo".
E nas voltas que o mundo dá, vejo agora aquela senhora sem folhas, observando as novas gerações, a imagino fazendo comparações e saio com a alma refrescada depois de um dia de aula no campo. revendo os assobios que o vento sopra em mim.